No meio de Urubus

Ice Cream Party

No meio de Urubus

Durante a minha vida aprendi algo bastante importante. Aprendi com a experiência que existem pessoas que crescem e se fortificam através da estagnação e fraqueza de outras pessoas. Estas pessoas deliciam-se com este estilo de vida. Talvez não conheçam outra forma de ser. Talvez tenham aprendido que desta forma sempre lhes deu resultados, até um dia…
Estas pessoas, as comparo de urubus. O urubu é uma espécie de ave que voa a baixa altitude, sempre á espera de encontrar animais no solo mortos. Quando vê um animal morto, por mais fome que tenha, espera cautelosamente durante cerca de uma hora, avaliando eventuais perigos. É uma ave calculista, portanto. Quando se convence que não existem nenhum perigo, “ocupa a sua posição” e come até não se poder mexer mais.

Em sociedade, (con)vivemos com todo o tipo de pessoas, incluindo urubus. É fundamental aprender a usar cada aprendizagem no sentido de obter mais e melhor protecção.
Então como pode detectar um urubu no seu dia-a-dia?

1 – Os urubus no seu dia-a-dia são pessoas que andam sempre por perto, á semelhança da ave urubu, que está sempre a rondar a baixa altitude, á espera da melhor oportunidade. Essa oportunidade pode ser quando está em alta – aproximam-se ainda mais para ganhar a confiança – na cabeça desses urubus, ter o “inimigo” ao lado deles é conveniente.
Ou pode ser quando está numa fase menos boa – aproximam-se para atacar de maneira suave e entender quando você “morre” – para tirar o proveito próprio sem “danos colaterais”.

2 – Os urubus, logo pela manhã trazem atrás de si um delicado rasto de destruição emocional. Tudo á sua volta vai sentindo os efeitos destrutivos do seu estado emocional camuflado, através da manipulação, das “fragilidades”, da “vitimização” e até mesmo das palavras. Esta espécie é uma espécie que suga as energias da sua “presa”, para que esta “morra” mais depressa. Esta espécie precisa desta forma de alimento á sua vaidade.

3- Reparem: quando está sol dizem “nunca mais vem chuva. Já faz falta!”; quando chove dizem: está sempre a chover. Já chega de chuva!”; quando está frio dizem: “está muito frio! Nunca mais chega o calor”; quando está calor dizem: “Este calor é perigoso para a saúde”; quando chega a sexta-feira dizem: “só faltam dois dias para segunda-feira…” ou “o fim se semana passa rápido…”; quando chega a segunda-feira dizem “nunca mais chega a sexta-feira…”

4 – Quando se fala a essa espécie de urubu de um eventual projecto com o qual estamos entusiasmados, têm sempre uma palavra de “apreço e de simpatia” para o deitar por terra e desmotivar. Mas sempre com a melhor das intenções, claro!

Já identificaste algum urubu na tua vida?

As pessoas influenciam-se umas às outras de forma positiva ou negativa, de forma consciente ou inconsciente – chamo a isto de estado energético ou uma expressão mais conhecida, o “estado de espírito”.
Se não estiveres conscientes do teu estado emocional e o deixares desprotegido, a vaguear livremente, mais cedo ou mais tarde alguém se apodera do teu habitat natural,  dominando-te da forma que lhe será mais útil.

Tu tens o domínio do teu habitat natural? Ou permitiste que alguém se apoderasse de ti?